segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

A todos os amigos e irmãos

Que a graça do Senhor Jesus Cristo possa estar em nossa vida em 2009, e que o ano novo possar vir repletos de bençãos para nossa vida.

Doce Recados para Orkut

quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

sábado, 13 de dezembro de 2008

O papel da Família na transmissão da fé e na formação religiosa

Imagem da web
Pb. Marcos Antônio Guimarães

Muito se tem discutido a respeito do papel da família para a formação de uma sociedade equilibrada, em razão do aprendizado que ela proporciona para a inserção do indivíduo na sociedade, tanto do ponto de vista antropológico, social, quanto da formação religiosa.


Ainda que a maioria das famílias possui características patriarcais e nucleares. A desintegração do seio familiar é notada pelo grande número de famílias monoparentais, definida pela Constituição Federal brasileira como sendo uma comunidade formada por qualquer dos pais e seus descendentes, resultado do elevadíssimo numero de divórcios e de mulheres solteiras que criam seus filhos sozinhos.


Outras formas de famílias já são notadas, como, as famílias comunitárias e aquelas formadas por homossexuais, ainda que esta última seja motivo de discussões acirradas. Toda esta mudança no conceito de família e sua composição, em nada têm contribuído para a edificação espiritual de seus membros.


A Bíblia sagrada nos informa que a família foi projetada na mente do Criador, quando Ele disse “não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma auxiliadora que seja idônea”, desta forma, a formação da família não foi um fato social motivado pela necessidade de sobrevivência do ser humano e sim uma necessidade observada e implementada pelo criador.


Entendemos a partir do relato bíblico que os primeiros filhos de adão, Abel e Sete, tinham hábitos de adoração e agradecimento ao criador. O prelúdio das famílias nos reporta a um ambiente de adoração e comunhão com o Criador e este aprendizado fora adquirido pelos filhos, certamente pela observância das ações paterna.


A escritura sagrada nos relata ainda que, tão logo Noé deixou a arca após o dilúvio, sua primeira ação foi edificar um altar de adoração, este exemplo paterno foi de vital importância para a formação espiritual dos seus descentes, tendo em vista, serem os três filhos de Noé a gênese de toda a humanidade.


Enoque fora um homem que andou com Deus, tinha comunhão com o criador. Seu filho Matusalém viveu aproximadamente 300 anos ao seu lado, e Sem, o filho piedoso de Noé foi contemporâneo de Matusalém por aproximadamente 100 anos. A ligação familiar contribuía de forma positiva para a formação espiritual dos descentes das primeiras famílias.


Quando o Senhor Deus ordenou a Moisés que a Lei fosse preservada entre os filhos de Israel, a responsabilidade da educação religiosa foi posta sobre as famílias, conforme Deuteronômio capítulo seis. E o apóstolo Paulo quando escreveu ao jovem Timóteo, lembrou-lhe que sua fé fora resultado de um aprendizado familiar, proporcionado pela sua avó e sua mãe.


A responsabilidade da formação espiritual é reiterada pelo proverbista bíblico quando diz que, o menino deve ser ensinado no caminho em que deve andar. O Senhor Jesus quando ensinou seus discípulos a orar, Ele disse “Pai nosso que estás nos céus”. O Senhor Deus nos chama de filhos. Toda esta relação familiar apresentada na Bíblia é um lembrete da necessidade urgente das famílias retomarem a educação espiritual de seus filhos que, paulatinamente foi terceirizada às escolas, às secretárias do lar e à igreja.



Marcos A Guimarães é graduado e pós graduado em administração

e Bacharel em teologia










O PAPEL DA FAMÍLIA NA TRANSMISSÃO DA FÉ E NA FORMAÇÃO RELIGIOSA

Escrito por Geziel Silva Costa


Deus instituiu a família atribuindo a ela vida íntima conjugal, propagação do gênero humano, educação, subsistência e afeto. Deus tinha um plano peculiar ao instituí-la, e estabeleceu responsabilidades a cada um dos seus membros, e trataremos diretamente com ele, no dia da prestação de contas. Cada membro pode contribuir para o ideal divino fazendo sua parte com dedicação, amor, fidelidade e afinco.

Para que uma sociedade seja constituída, é necessário que haja a família. Esta foi estabelecida no Éden por Deus, para a continuação da raça humana. O sistema básico da sociedade é a família, eis a razão da importância da educação na família, para uma sociedade mais ajustada. A comunidade desde a menor até a metrópole, precisa de um lar para sua existência; por isso quando um lar fracassa e se desmorona, a comunidade torna-se um caos. Filhos sem lar vivem nas ruas, sem os pais para ensinarem e aprendem com outras pessoas, coisas ruins. O resultado são as drogas, o roubo, uma vida totalmente prejudicial à sociedade, e longe dos princípios estabelecidos por Deus na Bíblia.

A igreja é composta de famílias, que trabalha na formação religiosa alicerçando-a nas Sagradas Escrituras. Igreja sem família é impossível, mas existem famílias sem igreja. Contudo as enxurradas do mundanismo podem vencê-la. A igreja pode ajudar a família por meio de palestras sobre diversos assuntos como: Namoro, noivado e casamento, os cônjuges e suas responsabilidades, a responsabilidade dos pais, a criação dos filhos (alerta sobre drogas, vícios, jogos etc.), os meios de comunicação, o mercado de trabalho aos jovens, a vida íntima conjugal, e muitos outros assuntos vistos do ângulo bíblico. Deus está interessado pelo bem estar familiar, ele não quer vê-la sem as qualidades morais, pois estas são as virtudes de uma sociedade digna de um criador. Deus quer ver a prosperidade e a felicidade familiar, para isso ele deixou a Bíblia, nossa regar de fé e prática, que nos mostrará o caminho.

A família sofre hoje fortes ataques por parte de uma sociedade corrompida e depravada. O conceito de casamento, virou sinônimo de divórcio. Quanto maior for o número de casamento, maior será o número de divorciados. A mídia divulga o divórcio entre a terceira idade como algo comum, ótimo e necessário. Mas não mostra o outro lado da moeda, filhos desnorteados com a separação dos pais, com traumas psicológicos, mágoas e uma série de fatores decorrentes do divórcio. Outro ataque à família, é a pressão do homossexualismo que cresce e toma espaço na sociedade e na mente das pessoas como algo totalmente natural. A Bíblia o chama de antinatural, inflamação, pecado, depravação moral etc. Quantos casais deixaram o seu uso natural para se relacionarem com pessoas do mesmo sexo! Assim eles contribuem para o aumento de doenças sexualmente transmissível, suicídios entre os filhos adolescentes que ainda não conciliam uma separação antinatural! Cito exemplo da Espanha.

A educação nas escolas, tem apoiado a Teoria da Evolução, mesmo sendo uma afronta contra a Bíblia. Muitos formadores de opinião têm defendido o uso de drogas, aborto, armas, sexo livre entre os jovens, camisinhas para continuarem na prostituição. Isso é um incentivo à prostituição, à promiscuidade. O inimigo sabe que destruindo a família, temos uma sociedade reprovada, e uma igreja fracassada. Ele ataca a igreja, a Bíblia, a fé e a família. Sempre a mídia publica ataques contra a palavra de Deus. Por isso, devemos ensinar o menino no caminho que deve andar. Empunhar a palavra de Deus para dirigir nossos passos, pregar contra o pecado que afeta a sociedade, e com nosso exemplo de vida cristã, testemunhar que o caminho que tomamos é a saída para uma vida transformada, justa, feliz, digna e pia.




Geziel Silva Costa

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

A COMPLETUDE DA BÍBLIA

TEXTO ÁUREO
"Porque eu testifico a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro que, se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus fará vir sobre ele as pragas que estão escritas neste livro" (Ap 22.18).



INTRODUÇÃO


Completude são o estado, condição ou qualidade do que é completo, daquilo a que não falta nada. A Bíblia está completa, tem todos os ensinos e admoestações para os humanos. Não necessita acrescentar-lhes nada. Todas as obras de Deus estão completas e acabadas.


I - A COMPLETUDE DA BÍBLIA


1 - A Bíblia é completa em seu conteúdo.

A Bíblia tem a doutrina completa para a nossa salvação. As doutrinas da salvação, perdão, arrependimento etc, são as mais fáceis de se entender . Qualquer um pode entender, até mesmo uma criança. A doutrina da salvação está completa, não precisa ser-lhe acrescentada, nada mais, nenhum preceito, normas ou regras. “Porque tudo que dantes foi escrito para nosso ensino foi escrito, para que pela paciência e consolação das Escrituras tenhamos esperança”. (Rm 15.4).

Os escritores da Bíblia foram inspirados pelo Espírito Santo, viveram em época e lugares diferentes. Muitos deles não se conheceram, no entanto escreveram o mesmo tema central da Bíblia. Ao contrário do que afirmam os críticos da Bíblia, não houve um trabalho coletivo para a Bíblia ser escrita. Não foi um grupo qualquer de pessoas que se reuniram e combinaram em escrever a Bíblia, muito pelo contrário. A Bíblia foi escrita mais ou menos num período de dezesseis séculos, por mais de quarenta escritos em lugares que vão de Babilônia a Roma. A Septuaginta sim, foi uma obra coletiva de tradução da Bíblia para o grego koiné. Esta tradução foi feita entre os séculos III e I a.C em Alexandria. No entanto, a Bíblia já estava completa e acabada no idioma Hebraico.


2. A Bíblia é completa em sua mensagem
A mensagem da Bíblia é o amor de Deus aos homens e seu plano salvífico. Está explícito na Bíblia quão grande é esse amor, e a disposição de Jesus em salvar a humanidade. Não existe outro caminho Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, senão por mim”. (Jo 14.6). Antes mesmo que Adão pecasse, pela sua onisciência Deus já sabia e providenciou a salvação. “E adoraram-na todos os que habitam sobre a terra, esses cujos nomes não estão escritos no livro da vida do Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo”. (Ap 18.3).



O plano divino de Deus, foi revelado ao homem através dos séculos através da palavra escrita. Alguns questionam que a Bíblia foi escrita por homens, é claro que sim, só os humanos são dotados de inteligência, razão, intelecto podendo evoluir Etc. A Bíblia é um livro divino, escrita por homens iguais a nós porém, inspirados tornando assim divino-humano. Pela Bíblia Deus fala em linguagem humana, se revela e usa os humanos para que eles possam entender e se relacionar com Ele. A obra de Deus também é divino-humana, ele pergunta: “A quem enviarei, e quem há de ir por nós? Então disse eu: Eis-me aqui, envia-me a mim” (Is 6.8).


II - DETURPAÇÃO DA COMPLETUDE DA BÍBLIA

Não temos mais nenhum texto original da Bíblia, mas sim cópias. Alguns críticos da Bíblia dizem: “Muitos erros foram feitos nas cópias, erros que às vezes mudaram o sentido dos textos”. Também afirmam, que os próprios copistas, acrescentavam suas ideias, aos textos, ora adicionando, ora subtraindo . Afirmam ainda que o versículo de apocalipse 22 e 18 “Porque eu testifico a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro que se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus fará vir sobre ele as pragas que estão escritas neste livro”. Dizem que este texto reflete bem isso, e João sabedor disso, fez essa severa advertência.



Os copistas usavam alguns critérios, tinham por meta não fazer nenhuma rasura, nem errar. Se descobrisse que alguma palavra estivesse compilada errada, jogavam toda a obra fora. Quando algum livro estava muito velho, não sendo possível ler ou entender alguma parte da escrita, queimavam a obra velha para ninguém fazer uma leitura ou interpretação distorcida. Vemos que eles não tinham intenção de deturpar a Bíblia, como querem os críticos, nem mesmo de adicionar ou subtrair palavras. A Bíblia não tem falha nem modificação, se alguma falha for encontrada nela, será sempre do lado humano, tradução mal feita, erro de grafia inexata, interpretação forçada, às vezes quem estuda compreende mal, falsa explicação aos sentidos do texto etc.


Se tiver na Bíblia algum trecho que não entendemos, não pense de primeira que é erro, diga como Agostinho: “Num caso desses, deve haver erro do copista, tradução mal feita do original, ou então sou eu mesmo que não consigo entender”. Se examinarmos o conteúdo do AT hebraico, notaremos duas coisas diferentes do nosso AT. O AT hebraico tem 22 livros e não 39 como o nosso. Porém o conteúdo é igual sem modificação. A questão é que a Bíblia hebraica junta determinada livros por exemplo, 1 e 2 Samuel forma um livro só, isso acontece com outros livros. A outra diferença é a ordem dos livros, o último da Bíblia hebraica é o de Crônicas e não Malaquias como a nossa. Mas isto não influi na autoridade e nem na mensagem dela, pois a Bíblia não é um livro de Cronologia.


Quem escreveu a Bíblia foram homens ímpios? Não seria possível escreverem um livro que sempre estaria condenando suas impiedades, e reprovando suas atitudes. Os ímpios condenam a Bíblia porque ela os julga como pecadores e mostra o seu destino se não se arrependerem. “Por isso quem resiste à potestade resiste à ordenação de Deus; e os que resistem trarão sobre si mesmos a condenação” (Rm 13.2). A Bíblia mostra o quanto o homem errou o alvo, e o quanto Deus almeja resgatá-lo do pecado querendo que todos se salvem “Para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (Jo 3.15).


III - AGRESSÕES À ORTODOXIA BÍBLICA

Muitas obras distorcidas têm surgido agredindo as doutrinas da Bíblia. Obras que mostram uma guerra espiritual fantasiosa, outras põem em dúvidas a divindade de Jesus e sua obra salvífica, alegando ser necessário regredir, fazer campanhas para o perdão etc. As enxurradas de artigos nos veículos de comunicação vem tentando minar a fé na Bíblia, alegando sem critérios, que a Bíblia está cheia de erros, que não é uma obra confiável, é um mito etc. A indignação deles é que a Bíblia vem ganhando o mundo, e a cada dia vai sendo traduzido em idiomas diferentes e continua a ser o livro mais influente do mundo. Todos os anos são publicados mais de 11 milhões de Bíblias.

Por outro lado têm surgido novas teologias com interpretação equivocada da palavra. A onda de prosperidade financeira, diz que Deus quer tornar todos ricos, que não adoecemos, pois as doenças é obra do Diabo, só adoece quem está em pecado. Estão pregando uma busca desenfreada pelo sucesso, curas milagres e esquecem de falar do amor de Jesus, da salvação, arrependimento, enfim as doutrinas básicas da Bíblia. Isso fere o princípio do evangelho “Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura, Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado” (Mc 16.15). Evangelho são boas novas, e as novas são de salvação em Jesus, não de riquezas
“Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam; Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam” (Mt 6. 19,20).

Outros querem deixar como compêndio doutrinário para a igreja suas experiências. Todas as experiências estão abaixo da palavra de Deus, todas devem ser submetidas à luz da Bíblia. Hoje existem as inversões de valores, onde muitos valorizam suas experiências pessoas mais que a própria palavra de Deus. Outros querem interpretar a Bíblia de acordo com seu entendimento e suas experiências “Sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo” (2 Pe. 1.20,21).

CONCLUSÃO

A Bíblia é um livro singular, quantas obras de filósofos como Platão, Aristóteles são Best Seller como a bíblia? Nenhum livro. Mas a Bíblia vem através dos séculos sendo lida, compreendida, e transformando vidas, porque é uma obra divina. Digamos da Bíblia como disse o salmista:
“Oh! quão doces são as tuas palavras ao meu paladar, mais doces do que o mel à minha boca”.(Sl 119.103).
“Abre tu os meus olhos, para que veja as maravilhas da tua lei” (Sl 119.18).
“Oh! quanto amo a tua lei! É a minha meditação em todo o dia” (Sl 119.97).
“A tua palavra é muito pura; portanto, o teu servo a ama” (Sl119.140).


Bibliografia


Manual da Escola Dominical Antônio Gilberto (CPAD)

7 Razões para confiar na Bíblia Eewin Luter (VIDA)

Super interessante Dez. 2008.

Bíblia de Estudo Pentecostal (CPAD)

Dicionário Digital Aulete


GEZIEL SILVA COSTA

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

A Ética da nudez de VEJA

Veja a reportagem completa de Veja sobre a ética da nudez. As letras azuis são minhas.

foto de Marcelo Bortoloti, com reportagem de Silvia Rogar PURITANISMO ENVERGONHADO
A nudez pode ser arte ou protesto, pode significar afeto ou defender causas humanitárias. Tornou-se uma manifestação de liberdade vencedora no mundo de hoje. É, portanto, intrigante que ela esteja sendo contestada agora no Brasil por atores e atrizes. Tudo bem, mas cuidado para não incentivar a censura.


Nudez não é coisa simples. Ela aparece logo nas primeiras páginas da Bíblia e de outros textos fundadores da civilização. Para Adão e Eva, tornar-se consciente da nudez é o resultado da mordida no fruto proibido – e logo eles sentem vergonha, fraqueza e derrota, diante de si próprios e diante de Deus.


O que causou a nudez de Adão e Eva, foi o pecado, desobedeceram, erraram o alvo estabelecido por Deus, que com certeza não era a nudez. E até Adão e Eva protestaram contra a sua própria nudez, pois fizeram vestimentas para si de folhas de árvores. Muito pelo contrário do que os artistas da TV e de certas revistas sem escrúpulo fazem, tirar as roupas para ficarem nu.


O grego Homero, no épico Odisséia, descreve os apuros do náufrago Ulisses nu diante da princesa Nausícaa – que no final gostou do que viu. No século XX, em seu esforço para desvendar o inconsciente, Sigmund Freud, pai da psicanálise, disse que o sonho de estar nu em público é comum a todos os homens. Apesar da ligação estreita com vergonha e fragilidade, contudo, não se pode dizer que essas sempre tenham sido as conseqüências da nudez: ao longo da história, em diferentes contextos, o corpo despido também expressou orgulho, desafio ou liberdade. Nas últimas semanas, a discussão sobre o significado da nudez para os brasileiros ressurgiu de onde não se esperava. Quem pôs o tema em circulação foi o ator Pedro Cardoso, em um discurso durante o lançamento de seu novo filme, Todo Mundo Tem Problemas Sexuais. Ele depois fez o assunto render em seu blog.


A coisa está tão gritante, que os próprios, estão percebendo os exageros. Não esperavam que alguém do meio deles contestasse. As crí­ticas poderiam vir de qualquer um, menos dos seus próprios atores. Ha minha gente! Se nos calarmos, as próprias pedras clamarão!


foto de Nilton Fukuda/AE; Jose Luis da Conceição/AE e divulgação


LIMITES EM PAUTA Graziella Moretto e Pedro Cardoso, atores e namorados, falam de "pornografia disfarçada". Em manifesto, ele denunciou abusos na relação entre diretores e atores. Na última foto da seqüência acima, Reynaldo Gianecchini e Paola Oliveira: em Entre Lençóis, ele vetou um nu frontal, ela atuou de tapa-sexo e ficou a maior parte do tempo coberta: direito de veto estabelecido em acordo


Sua tese surge meio deslocada em um tempo em que a nudez em suas várias formas – como os biquínis com tecido insuficiente para fazer uma gravata-borboleta – parece ter vencido. Mas ele atacou com força, sustentando que toda a indústria do entretenimento no Brasil (inclusive revistas masculinas como Playboy, publicada pela Editora Abril, que edita VEJA) estaria tomada por uma mentalidade "pornográfica", que força os artistas a se expor e assim os degrada. A nudez está em toda parte. Está em novelas como A Favorita e Pantanal e em quase todos os filmes em cartaz com censura acima de 16 anos. O recém-lançado Entre Lençóis tem os atores Reynaldo Gianecchini e Paola Oliveira quase pelados todo o tempo. Alguns atores aproveitaram a oportunidade para revelar que despir-se diante das câmeras envolve sempre uma dose de aflição. Ninguém, entretanto, endossou o discurso de Cardoso, cuja ira se mostrou, afinal, isolada entre os seus colegas.


"Não acho que essa cor vistosa, que é a nudez, possa ser retirada da nossa palheta. Eu passei por constrangimentosao longo da minhacarreira e muitas vezes estava vestida"Maitê Proença, 50, protagonizou vinte filmes e dois ensaios de capa para revista masculina


Entre os apoios óbvios que Cardoso recebeu está o de Graziella Moretto, atriz e sua namorada, que afirmou desconhecer ator ou atriz que não se sinta "pessoalmente aviltado com a tênue linha que hoje nos separa da pornografia". Outras atrizes, que já se expuseram bem mais que ela, como Maitê Proença e Claudia Ohana, admitem que já se sentiram constrangidas, mas não necessariamente em cenas de nudez. Não deixa de ser intrigante que essa questão esteja sendo discutida no Brasil nos dias atuais. Quando a nudez é aceitável? Quando ela é ofensiva? E quem decide isso? Uma varredura cultural e histórica sobre essas questões nos leva a conclusões surpreendentes. É errada a idéia de que a "evolução da mentalidade", como dizia a geração que adorava tirar a roupa nos anos 60, vai sempre na direção de mais para menos roupa, de menor para maior permissividade. Cada cultura em cada era tem sua própria etiqueta e suas formalidades. Pruridos somem e reaparecem tempos depois. Essa é uma das graças da civilização.


Quem disse que porque os mini biquínis invadiram as praias, estão sendo aceito pela maioria das pessoas? Porque a nudez invadiu as novelas nojentas, nas telas de muitas casas, merece aplausos? Porque os filmes e cartazes de atores estão em todos os lugares, as famílias estão apoiando? Quem fez esta pesquisa? Porque só são entrevistaram atores comprometidos com o nu? Todos eles são atores do mesmo naipe! Porque não fizeram uma enquete para votação? É muita falta de vergonha, fazer uma afirmativa peremptória desse naipe.


foto de Selmy Yassuda "Não fico nem um pouco à vontade atuando sem roupa. Já fui convidada para fazer trabalhos em cinema, no Brasil e no exterior, que recusei por conta disso, achei apelativo. A nudez não pode ser maior que a história."Cristiana Oliveira, 44, participou de onze novelas e está no ar novamente como Juma, na reprise de Pantanal. Posou nua para revista masculina.



O Brasil está vivendo uma fase mais recatada? Talvez não seja uma fase. Para o antropólogo Roberto DaMatta, a tese de que o Brasil do biquíni e do Carnaval é particularmente permissivo em relação à nudez é enganosa. Do ponto de vista de sua disciplina, explica ele, o uso de roupas, ou a falta delas, responde a certas molduras ou rituais. No Carnaval, por exemplo, ninguém está realmente nu enquanto estiver coberto com algum elemento alegórico – ainda que seja a purpurina. E o regulamento da Liga das Escolas de Samba do Rio de Janeiro é um eloqüente exemplo das sutilezas envolvidas nas definições da nudez: um destaque pode desfilar com seios, nádegas e tudo o mais à mostra. Mas, se deixar cair o tapa-sexo, comete falta grave e sua escola perde pontos. "A fronteira entre a nudez aceitável e a obscena é uma dessas questões que não têm solução pronta", diz DaMatta.





Isto mostra a inversão de valores. Até o dicionário diz que nu é:"Quase sem roupa". São os locais e os eventos que dizem que nudez é nudez? Dependendo do local ou do evento, e não das roupas, você pode estar ou não nu? Os valores morais estão invertidos, meu Deus! Onde chagamos! Querem-nos fazer engolir que o certo é errado e o errado está certo?!



foto de André Passos/Playboy

"Quando uma cena de sexo é malfeita, quem está nu fica muito mais exposto. Eu mesma, no cinema, já fiz algumas que não gostaria de ter feito. Mas o nosso lado sensual precisa ser mostrado, é natural do ser humano."Claudia Ohana, 45, trabalhou em treze filmes, treze novelas e posou duas vezes nua



Tampouco na história da arte as demarcações são claras. Obras-primas universais foram objeto de censura em diferentes épocas. Pouco antes da conclusão das pinturas da Capela Sistina, um dos assessores do papa Paulo III advertiu Sua Santidade de que as imagens do Juízo Final criadas por Michelangelo eram mais adequadas a uma taverna do que a uma capela. Assim, em 1558, véus e folhas de parreira foram acrescentados a elas – e só retirados em restaurações recentes. A célebre Vênus de Milo, que incorpora o ideal de beleza feminina da antiga Grécia, também já foi alvo de repúdio: em meados do século XIX, foi objeto de um processo num tribunal alemão e "condenada" como imoral. Meses atrás, o primeiro-ministro italiano Silvio Berlusconni demonstrou que o pedigree de uma obra de arte não basta para pô-la a salvo de reservas: ele mandou encobrir o seio de uma figura alegórica pintada por Giovanni Battista Tiepolo no século XVIII, pois o quadro adorna a sua sala.





Vários tipos de justificativa são apresentados quando uma obra de arte com figuras nuas é censurada – do simples pudor até as teorias mais complicadas. Um argumento clássico é o de que o "nu artístico", ao contrário do "nu vulgar", não desperta sensações carnais no espectador. Esse argumento foi desmontado pelo crítico inglês Kenneth Clark. "Se um nu deixa de despertar no espectador um vestígio de sentimento erótico, por menor que seja, ele não é apenas arte ruim como falsa moral", escreveu Clark. Mais recentemente, a crítica americana Camille Paglia sustentou que a grande arte não se mistura apenas ao erotismo, mas, em certas ocasiões, também à pornografia – quando explora "as forças extremas do instinto e da sexualidade atuando por baixo das convenções sociais".





A Bí­blia é enfática quando diz: "fugi da aparência do mal", "A concupiscência da carne" é pecado. "Quem olhar para uma mulher com pensamentos impuros, já adulterou com ela". É pecado abominável e antinatural a inflamação de varão com varão e mulher com mulher. Mas é difí­cil para uma nação com pensamentos, valores e conceitos invertidos, entender a verdade do evangelho, uma vez que estão cegos pelo deus deste século.



fotos de Blank archives/Getty Images; Fabrice Cofferini/AFP, Rob Stewart/AFP e Neil Gillespie

LIBERTÁRIA E HUMANITÁRIA partir do alto, em sentido horário, Lennon e Yoko em capa de disco; foto de Spencer Tunick contra o aquecimento global; folhinha do time de futebol feminino da Austrália; e jovem do movimento Peta em campanha pelo vegetarianismo



Na segunda metade do século XX, um novo fenômeno despontou com os movimentos hippie e beatnik: a nudez como forma de protesto social. Nos anos 80, os protestos envolvendo pessoas nuas passaram a fazer parte do repertório de entidades humanitárias. A ONG americana Peta (People for the Ethical Treatment of Animals), por exemplo, opõe-se ao uso de peles na indústria da moda conclamando ativistas e celebridades a tirar a roupa em suas manifestações. Mais recente ainda é a chamada Naked Charity (caridade nua). Todos os anos, pelo menos 100 calendários beneficentes com pessoas nuas são lançados nos Estados Unidos e na Europa, para ajudar menores carentes, pesquisas de combate ao câncer ou desabrigados por desastres naturais. "Esses calendários são uma provocação aos códigos, em que pessoas exibem corpos fora dos padrões estéticos valorizados, e por isso chamam atenção", diz o antropólogo José Carlos Rodrigues, da PUC do Rio de Janeiro. No Brasil, uma entidade de apoio a crianças com câncer chamada Graacc produziu, em 2006, um calendário com onze voluntárias, de 50 a 81 anos, todas seminuas. Foram vendidas 100,000 unidades. A atração pelo nu é explorada ainda pelo fotógrafo americano Spencer Tunick, que roda o mundo fotografando grupos de pessoas peladas. Em 2002, ele conseguiu atrair 400 voluntários nus no Parque do Ibirapuera, em São Paulo. Recentemente, levou uma legião aos Alpes suíços, para protestar contra o aquecimento global.





Por mais que diversas pessoas estejam, nuas, e que muitas defendam o nu, ainda somos a maioria que preferimos estarmos com roupas. Não fizeram nenhuma pesquisa a favor do nu ou com roupas, pelo menos eu não fui entrevistado.Mas é sempre assim, quando querem falar de aborto, não chamam um biólogo ou médico da medicina fetal, mas uns jornalistas ignorantes metidos a inteligentes. Para falar de Bí­blia e de religião não chamam um pastor ou teólogos sérios, mas sempre alguém com conhecimentos rasos e teóricos.





Em seu blog, Pedro Cardoso sustenta que a nudez da televisão e dos filmes, na verdade, é uma deturpação de todas as manifestações legítimas da nudez, da arte real às passeatas para proteger os animais. Ela seria algo assim como uma forma de dominação imposta pelo "sistema" – e por isso deveria ser banida. Nesse ponto, seu pensamento se aproxima do de feministas americanas como Andrea Dworkin e Catherine McKinnon, que atacaram a indústria pornográfica sustentando que ela era um fator de escravização política e econômica da mulher. "A pornografia", dizia McKinnon, "institucionaliza a supremacia masculina." No começo dos anos 90, essas feministas conseguiram inclusive a aprovação de uma lei no estado de Indiana, banindo qualquer tipo de material que mostrasse "a subordinação gráfica e sexualmente explícita de mulheres, em palavras ou imagens". A lei foi contestada na Suprema Corte americana, que a declarou inconstitucional, por ferir o direito básico de liberdade de expressão. Essa tem sido a diretriz da corte em julgamentos semelhantes desde o fim da década de 50 – a exemplo da história da liberação do filme Os Amantes, de Louis Malle. Ainda que resulte em produtos ofensivos, ou até repugnantes para certos grupos, diz o tribunal, a liberdade de expressão deve ser preservada, pois é um dos pilares da democracia. Outro exemplo clássico dessa linha de atuação é a vitória de Larry Flynt, dono da revista pornográfica Hustler, em processo movido por um pastor alvo de uma paródia sórdida, em que perdia a virgindade em incesto com sua mãe. O que pode haver são restrições – impedindo que a pornografia, por exemplo, circule em qualquer lugar ou atinja as crianças.





Qual restrição existe para a pornografia? Qualquer criança pode ir a uma banca e comprar uma revista pornográfica, pois o que interessa é a grana. Nunca vão perguntar a um menor de idade, a data do seu nascimento, mas sim se tem dinheiro. Não conseguem restringir o tráfico e a prostituição entre menores , vão restringir a compra de revistas? É conversa pra boi dormir.


Fotos Andrew Medichini/AP, Bettmann/Corbis/Latinstock e Erich Lessing/Album/Latinstock












RIDÍCULOS HISTÓRICOSA Vênus de Milo foi considerada obra obscena em julgamento na Alemanha, no século XIX. Em pleno século XXI, o premiê italiano Silvio Berlusconi mandou cobrir um seio no quadro atrás de sua mesa, uma obra-prima de Giovanni Battista Tiepolo










Esse é, aliás, o limite para a nudez em sociedades como a americana – ou a brasileira. Controlá-la para impedir que atrapalhe o desenvolvimento de crianças faz sentido. "A exibição de conteúdo erótico na televisão, ainda que eventual, pode afetar as crianças mais do que se imagina", diz o psicanalista Joel Birman. "Elas são seduzidas sem perceber, e o resultado pode até mesmo ser traumático." Bani-la para satisfazer adultos melindrosos ou puritanos é um erro (e não é descabido lembrar que a vida ascética costuma ser uma marca dos grandes autoritários – como Hitler ou Stalin). Mais vale a filosofia expressa – com a ironia e o exagero típicos dos modernistas, é claro – por Carlos Drummond de Andrade no poema Em Face dos Últimos Acontecimentos: "Oh! sejamos pornográficos / (docemente pornográficos). / Por que seremos mais castos / Que o nosso avô português?".





Parece até coincidência, depois da lição da EBD apresentar o tema "A Bí­blia: O Código de ética Divino". E abordando em seu bojo assuntos como: Valores morais, A trágica situação espiritual do mundo e do Brasil, A falha da sociedade em educar os cidadãos, e dizendo que o mundo se encontra numa situação moral e espiritual de calamidade, etc.


Em Seguida a Revista Veja agiu sem o menor escrúpulo com o tí­tulo de capa "A Ética da nudez". Não são os artistas que estão protestando a favor do nu, mas a própria revista, reabre a questão defendendo seus periódicos com opinião tendenciosa.





Abraços

Geziel Silva Costa




















quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

A Bíblia: O Código de Ética Divino


INTRODUÇÃO

Ética é um aspecto da filosofia, que está dividida ou formada por alguns grupos. Política, Lógica, Gnosiologia, Estética, Metafísica e Ética que definimos,como: “Parte da filosofia que trata das questões e dos preceitos que se relacionam aos valores morais e à conduta humana. Conjunto de princípios, normas e regras que devem ser seguidos para que se estabeleça um comportamento moral exemplar”. (Aulete Dicionário Digital).

I – UM MUNDO SEM A ÉTICA BÍBLICA

Qualquer pessoa pode decidir entre o certo e o errado, seja para com os homens ou Deus, porém a Bíblia ensina como tomar decisões certas diante de ambos. Mas como tomar decisões certas, se hoje o moralmente certo é errado? Como acertar num mundo relativista, Onde as pessoas matam uns para salvar outros? A Bíblia, o Código de Ética Divina, ajuda-nos a tomarmos decisões morais acertadas.

Os valores do mundo corrompido sem Deus, são imorais, relativo e contrário aos princípios bíblicos. O desafio da igreja é grande em combate ao sistema mundano. A prostituição, o homossexualismo, a pornografia, o aborto,a corrupção, assolam a sociedade, desvirtuando-a, dos padrões morais estabelecidos pela Bíblia. O conceito da sociedade sobre namoro, casamento e sexo, revela o hedonismo (prazer imediato), é a influência do egoísmo ético. O índice de aborto é virulento, a cada ano os números aumentam. Uma pesquisa feita no Brasil, revela que 60% dos brasileiros são favoráveis ao aborto. “Porque o juízo será sem misericórdia sobre aquele que não fez misericórdia; e a misericórdia triunfa sobre o juízo” (Tg 2.13).

A prostituição, que não é uma profissão, é uma prática pecaminosa, Deus proíbe com veemência, é grave pecado, é insanidade, loucura, estupidez e torpeza. “Não sabeis vós que os vossos corpos são membros de Cristo? Tomarei, pois, os membros de Cristo e fá-los-ei membros de uma meretriz? Não, por certo. Ou não sabeis que o que se ajunta com a meretriz fazem-se um corpo com ela? Porque serão, disse, dois numa só carne. Mas o que se ajunta com o Senhor é um {mesmo} espírito. Fugi da prostituição. Todo pecado que o homem comete é fora do corpo; mas o que se prostitui peca contra o seu próprio corpo”. (1Co 6.15-18). Leia ainda (Pv 7.4-10, Dt 23.17, 1Co 6.16).

Poderíamos falar ainda de assuntos éticos que a Bíblia aborda com clareza como: A guerra, pois existem guerras justas e injustas. A família, que sofre com as enxurradas de ataques malignos. O sexo, que tem se tornado pervertido, fora do casamento ou no casamento dos ímpios, o sexo pervertido é de praxe. Mas no meio cristão, o diabo tem achado brecha para tornar o seu uso ilícito, antibíblico, antinatural, anticristão, anti-social e subumano. Demônios podem atuar no ser humano na área do sexo. “O meu povo consulta a sua madeira, e a sua vara lhe responde, porque o espírito de luxúria os engana, e eles se corrompem, apartando-se da sujeição do seu Deus”. (Oz. 4.12). “Não querem ordenar as suas ações, a fim de voltarem para o seu Deus; porque o espírito da prostituição está no meio deles, e não conhecem o SENHOR”. (Oz. 5.4).

Ainda sobre assuntos relacionados à moral, O suicídio é um mal que ceifa muitas almas, e não resolve os problemas de ninguém com o fim da vida. A eutanásia, defendida praticada em muitos lugares, é proibida pela Bíblia. Deus é o autor da vida, e só ele tem o direito de tirá-la. (Ex 20.13). As finanças particulares e individuas, tanto quanto as públicas, devem ser utilizadas de maneira correta, sensata e temente a Deus. Os vícios e os jogos, são prejudiciais em todos os Âmbitos. Porque não existe uma lei proibindo o cigarro e a bebido peremptoriamente? Os impostos da bebida e do cigarro geram um bom dinheiro ao governo, deve ser este o motivo. Poderíamos ainda abordar sobre a ética na política. É importante saber que a política exerce influência em todas as áreas da vida, portanto não faz sentido o crente dizer que não quer envolver-se com ela.

II – PRINCÍPIOS ÉTICOS DA BÍBLIA

A base da Ética Cristã é o decálogo, tanto no aspecto espiritual quanto moral. O apogeu da ética nos dez mandamentos é a ética cristã nos ensinos de Jesus. Lembram do Jovem rico? “E eis que, aproximando-se dele um jovem, disse-lhe: Bom Mestre, que bem farei, para conseguir a vida eterna?” (Mt 19.16). Até o dia de hoje, as pessoas como o jovem rico, pensa que podem alcançar a salvação por seus próprios esforços. “QUE FAREI”. Jesus sabia que estava diante de um rapaz educado nas regras éticas judaicas, onde o exterior era mais importante que o interior, o ser e o sentir espiritualmente. “O formal mais importante que o real.” E ele disse-lhe: Por que me chamas bom? Não {há} bom, senão um só {““ que é Deus ““.} Se queres, porém, entrar na vida, guarda os mandamentos” (Mt 19.17).O jovem cumpria todos os mandamentos, Jesus sugeriu que ele vendesse tudo e o seguisse, e ele retirou-se triste. Ele não matava, não roubava não prostituía e etc.Mas à Luz da Ética Cristã,o que importa não é só o NÃO FAZER, mas praticar o que é justo e reto. “Aquele, pois, que sabe fazer o bem e o não faz comete pecado” (Tg 4.17).

No Antigo Testamento, “não matarás” (EX 20.13).Refere-se ao matar de modo premeditado, deliberado e doloso. “Na ética de Cristo, a prevenção é mais importante, a ira, a cólera e agressão verbal são pecados. "Ouvistes que foi dito aos antigos: Não matarás; mas qualquer que matar será réu de juízo. “Eu, porém, vos digo que qualquer que, sem motivo, se encolerizar contra seu irmão, será réu de juízo; e qualquer que disser a seu irmão: Raça, será réu do Sinédrio; e qualquer que lhe disser: Louco, será réu do fogo do inferno” (Mt 5.21-22).O adultério no AT é condenado. Não adulterarás (Ex 20.14; Dt 5.18). Na ética de Cristo, ele condena não apenas os atos, mas também os pensamentos impuros, as fantasias sexuais o “adultério mental” “
Eu, porém, vos digo, que qualquer que atentar numa mulher para a cobiçar, já em seu coração cometeu adultério com ela” (Mt 5.28).

O Amor ao próximo no AT era entendido somente entre os judeus e suas famílias e as autoridades. O inimigo eram os gentios.“mas amarás o teu próximo como a ti mesmo. Eu sou o SENHOR” (Lv 19.18b). Mas os religiosos diziam: “Aborrecerás o teu inimigo.” Deus nunca ordenou isso. Na ética de Cristo. “Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem; para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus; Porque faz que o seu sol se levante sobre maus e bons, e a chuva desça sobre justos e injustos”( Mt 5.44-45).

III - A ÉTICA CRISTÃ É PARA TODAS AS FAMÍLIAS

A Bíblia enfatisa maior importância à virtude moral, do que às regras de condutas. Ele enfatiza sobre o homem justo e puro de coração que é bem aventurado. Os Frutos do Espírito Santo descritos em Gálatas, são as virtudes. “Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança” (Gl 5.22). Ensinar o menino no caminho em que se deve andar, é ensinar a ter virtude, ensinar a ser justo e íntegro e reto. Deus dá testemunho de quem possui essas virtudes. “E disse o SENHOR a Satanás: Observaste tu a meu servo Jó? Porque ninguém há na terra semelhante a ele, homem íntegro e reto, temente a Deus, e que se desvia do ma” (Jó 1.8).

1. A ética para os pais. A ética dos pais, embasada de autoridade no lar, gera segurança e garante a sólida formação do caráter dos filhos. A figura paterna está cada vez mais ausente da educação dos filhos. Seja pelo tempo, trabalho, ou pelo indiferentismo e desprezo familiar aplicado pelo sistema mundano. As pressões sociais e econômicas que levam os pais a confiarem a educação e criação dos filhos aos avós, creches, empregadas e babás eletrônicas, deixam os pais ausentes na formação dos filhos. A ausência da figura paterna, provocará num futuro próximo, a dissolução de milhões de famílias. Aos pais compete o ensino cristão aos filhos, a uma vida de limites, respeito e princípios bíblicos, para uma vida longa e abençoada. “Vós, filhos, sede obedientes a vossos pais no Senhor, porque isto é justo.Honra a teu pai e a tua mãe, que é o primeiro mandamento com promessa;Para que te vá bem, e vivas muito tempo sobre a terra” (Ef 6. 1-3).

2. A ética para os filhos. Os filhos precisam conhecer e obedecer limites. A honra que os filhos podem dar aos pais, é aceitando os limites impostos,e assimilando os valores ensinados pelos pais. Um lar onde os limites são aplicados e obedecidos justa e biblicamente, conforme a palavra de Deus, as crianças são realmente felizes e vivem alegres. “Filho meu, guarda o mandamento de teu pai, e não deixes a lei da tua mãe; Ata-os perpétuamente ao teu coração, e pendura-os ao teu pescoço. Quando caminhares, te guiará; quando te deitares, te guardará; quando acordares, falará contigo. Porque o mandamento é lâmpada, e a lei é luz; e as repreensões da correção são o caminho da vida” (Pv 6.20-24).

No AT testamento, Deus estabeleceu um padrão ético para o seu povo, e fez recomendações aos pais para ensinarem seus filhos. “E estas palavras, que hoje te ordeno, estarão no teu coração; E as ensinarás a teus filhos e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te e levantando-te. Também as atarás por sinal na tua mão, e te serão por frontais entre os teus olhos. E as escreverás nos umbrais de tua casa, e nas tuas portas” (Dt 6.6-9). A falta de autoridade e ensino aos filhos, traz desordem e vexame no convívio social, gera indivíduos irresponsáveis, contraventores e despreparados para enfrentar a realidade da vida.

CONCLUSÃO

A palavra de Deus, é o princípio das leis estabelecidas por Deus. O padrão de moralidades, a formação do caráter, a virtude para a vida está imposta na Bíblia. O princípio da sabedoria é o temor a Deus, e o temor é desenvolvido na meditação e cumprimento da palavra de Deus. “Meditarei nos teus preceitos, e terei respeito aos teus caminhos, Tenho observado os teus preceitos, e os teus testemunhos, porque todos os meus caminhos estão diante de ti” (Sal 119.15,168.

Geziel Silva Costa

Bibliografia
Ética (As decisões morais à luz da Bíblia) CPAD
Lições Bíblicas 2° trimestre 2004 CPAD
Dicionário digital Aulete
Teologia Sistemática Charles Finney CPAD

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Programa Palavra da fé rádio nazareno 107,9 fm

video

O programa palavra da fé apresentado pelo Pb Vandeilson Santos, trouxe a temática sobre a teologia da Prosperidade

video